Cultura

Taylor Swift quebra dois recordes do Spotify em apenas um dia com a reedição do álbum Red

A artista norte-americana deu o último passo para tentar recuperar o controlo sobre as suas músicas depois da venda de grandes álbuns da sua carreira sem o seu consentimento. A nova era de Swift já está a causar efeitos nas grandes produtoras. 


Taylor Swift bateu dois recordes da plataforma Spotify com a reedição do álbum "Red". Na sexta-feira, dia do lançamento, "Red (Taylor's Version)" foi o álbum mais ouvido num único dia de uma artista feminina, tornando-se também na cantora mais ouvida em 24 horas. 

Segundo o Business Insider, as músicas da cantora norte-americana foram ouvidas 122,9 milhões de vezes, sendo que três quartos dessas músicas foram do recente álbum reeditado do original lançado em 2012.  A artista norte-americana deu assim o último passo para tentar recuperar o controlo sobre as suas músicas depois da venda de grandes álbuns da sua carreira. 

No ano passado, Swift começou a regravar músicas depois de a sua discografia ter sido vendida duas vezes sem o seu consentimento: primeiro para o gestor de talentos de celebridades - como Justin Bieber, Demi Lovato - Scooter Braun e depois para Shamrock Capital, uma empresa de investimento em media e entretenimento. 

"Sei que isto irá diminuir o valor dos meus antigos álbuns, mas espero que compreendam que esta é a minha única forma de recuperar o sentimento de orgulho que em tempos tive ao ouvir canções dos meus primeiros seis álbuns e também permitir aos meus fãs que ouçam esses álbuns sem sentimentos de culpa por beneficiar Scooter Braun", disse a cantora de 31 anos à empresa de investimentos, quando decidiu gravar novamente os seus discos. 

De relembrar que na maioria dos contratos discográficos tradicionais nos Estados Unidos, os artistas não ficam com os direitos das músicas em troca de um pagamento adiantado. Foi o que aconteceu com Taylor Swift, quando assinou o primeiro contrato com a gravadora Big Machine, que mais tarde foi comprada por Scooter Braun.  

Em 2018, a cantora dos êxitos Love Story e You Belong With Me assinou contrato com a Universal Music Group, que lhe possibilitou ser proprietária das suas músicas produzidas a partir deste acordo, uma negociação possível de concretizar apenas com grandes celebridades da indústria da música. 

A nova era de Swift já está a causar efeitos nas grandes produtoras. De acordo com o jornal The Wall Strett Journal, a Universal, considerada como a maior editora discográfica do mundo, decidiu duplicar o tempo que proíbe os artistas de regravar as suas músicas em contratos mais recentes.