Economia

Moody’s. Níveis de endividamento podem ser um desafio

 “Os governos regionais enfrentarão maiores pressões sociais, principalmente porque a pandemia pôs em evidência as desigualdades existentes e o aumento da procura de serviços sociais, incluindo cuidados de saúde”, refere o relatório.


Os níveis de endividamento podem tornar-se um desafio, apesar das perspetivas de solvabilidade para a zona euro nos próximos 12 a 18 meses serem estáveis. A garantia foi dada pela Moody’s. “Os elevados níveis de vacinação, juntamente com planos de investimento a nível nacional e europeu, sustentarão a recuperação económica da zona euro em 2022, apoiando alguma modesta desalavancagem após os aumentos consideráveis dos rácios da dívida desencadeados pela pandemia”, refere. 

A vice-presidente sénior da Moody’s Sarah Carlson e autora do documento afirma que “as divergências nas trajetórias da dívida na região tornar-se-ão mais aparentes e as pressões de crédito poderão começar a aumentar em alguns países”. E acrescenta: “a eliminação gradual das medidas de apoio, estrangulamentos do lado da oferta e uma recuperação mais permanente das pressões inflacionistas aumentam o risco de crescimento abaixo das expectativas, adianta o relatório.

Em relação ao risco político, a Moody’s considera que permanece modesto em toda a zona euro, mas considera que “as pressões sociais irão provavelmente intensificar-se pós-pandemia, influenciando a dinâmica política”. E afirma: “Os governos regionais enfrentarão maiores pressões sociais, principalmente porque a pandemia pôs em evidência as desigualdades existentes e o aumento da procura de serviços sociais, incluindo cuidados de saúde”, refere o relatório.

Ao mesmo tempo, o investimento e a reforma estrutural ligados ao programa comunitário Next Generation EU poderiam aumentar significativamente a produtividade e o potencial de crescimento.