Economia

CGD. Trabalhadores marcam greve ao trabalho extraordinário

Esta greve irá servir também para “exigir o fim das práticas de pressão e de assédio que levam a um clima de medo que se está a viver em toda a CGD no que respeita às relações de trabalho”. 

CGD. Trabalhadores marcam greve ao trabalho extraordinário

Os trabalhadores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) marcaram uma grave ao trabalho extraordinário que arrancará no dia 13 de dezembro. A paralisação foi convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores das Empresas do grupo e diz respeito à prestação de trabalho suplementar no período das 00h00 do dia 13 de dezembro até às 24h00 do dia 14 de janeiro. 

Segundo a estrutura sindical, os trabalhadores “não aceitam esta contínua degradação dos seus interesses e da sua dignidade”, acrescentando que “não estão dispostos a abdicar do seu direito à saúde e à conciliação da vida pessoal, familiar e profissional estabelecido na Constituição da República e no próprio Código de Conduta da CGD, valores, aliás, amplamente distinguidos nos sucessivos Relatórios de Sustentabilidade da Empresa”.

E as reivindicações não ficam por aqui. Esta greve irá servir também para “exigir o fim das práticas de pressão e de assédio que levam a um clima de medo que se está a viver em toda a CGD no que respeita às relações de trabalho”. 

Os comentários estão desactivados.