Sociedade

Feitos menos 6.000 testes do pezinho do que em 2020

Dados são referentes aos primeiros onze meses do ano.


Portugal realizou entre janeiro e novembro deste ano menos 6.058 "testes do pezinho" do que no período homólogo do ano passado.

A informação foi esta quarta-feira divulgada pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), que realizou este ano, até novembro, 72.316 "testes do pezinho", o rastreio feito entre o terceiro e o sexto dia de vida do bebé e que cobre quase a totalidade dos nascimentos em Portugal. 

Os dados divulgados pelo INSA referentes aos primeiros onze meses deste ano ainda que Lisboa foi o distrito com mais bebés rastreados, com 21.485 testes efetuados. Segue-se o Porto, com 13.435 testes, Setúbal com 5.425 e Braga com 5.322. Por sua vez, Bragança (466), Portalegre (533) e Guarda (576) foram os distritos com menos recém-nascidos estudados.

O Programa Nacional de Rastreio Neonatal realiza-se, desde 1979, o chamado "teste do pezinho". O painel das doenças rastreadas é constituído por 26 patologias, sendo o exame efetuado através da recolha de umas gotículas de sangue no pé da criança. O exame deve ser realizado entre o terceiro e o sexto dia de vida do recém-nascido.

Os comentários estão desactivados.