Cultura

Interpol resgata artefactos roubados

Segundo a Interpol, os objetos são mais de 9.400 e a operação, intitulada ‘Pandora VI’, resultou na detenção de 52 pessoas.


De acordo com o jornal britânico The Guardian, milhares de artefatos cujo valor é considerado «inestimável», tais como moedas de ouro romanas, quadros e estatuetas foram apreendidos numa operação policial que decorreu ao longo de quatro meses, em 28 países.

Segundo a Interpol, os objetos são mais de 9.400 e a operação, intitulada ‘Pandora VI’, resultou na detenção de 52 pessoas. O principal objetivo era deter o «tráfico ilegal de bens culturais». Apesar disso, mais de 170 investigações ainda estão a decorrer, sendo de esperar «mais apreensões e detenções».

Liderada por Espanha e coordenada pela Europol, Interpol e a World Customs Organisation, a investigação envolveu ações em aeroportos, postos de fronteira e ainda em museus, residências privadas e casas de leilões.

Foram os agentes alfandegários franceses que fizeram uma das maiores apreensões desta megaoperação, com 4.231 artefatos arqueológicos. Por sua vez, a polícia espanhola apreendeu 91 moedas de ouro romanas que foram roubadas e que poderiam render 500 mil euros no mercado negro. Já as autoridades norte-americanas recuperaram um carregamento que continha 13 artefatos mexicanos, que datam da era pós-clássica à era azteca. Além disso, sete autoridades policiais europeias recuperaram 90 detectores de metais «destinados ao uso ilícito em sítios arqueológicos».

Os comentários estão desactivados.