Vida

A eclética vida de Jada Pinkett Smith

Dos tempos em que era ‘como uma irmã’ de Tupac Shakur, passando pela fundação de uma banda de Heavy Metal e pelo tráfico de drogas, Jada Pinkett Smith é uma pequena caixa de surpresas. A mulher de Will Smith é muito mais do que ‘só’ a mulher de Will Smith, e tem muita história para contar.


O mundo parou, clicou no botão de ‘rewind’, e repetiu ad eternum aquele que foi, talvez, um dos momentos mais icónicos de sempre da cerimónia dos Óscares. Will Smith não gostou da piada que Chris Rock fez sobre a sua mulher, subiu ao palco, e deu um estalo ao humorista. Mas afinal, quem é Jada Pinkett Smith, a mulher de Will Smith e mãe de Jaden e Willow Smith, que foi «como uma irmã» de Tupac Shakur nos anos 90, altura em que se movia no mundo do tráfico de drogas?

Pinkett Smith é, no mínimo, um enigma. Nascida em Baltimore, no estado norte-americano de Maryland, a mulher de Will Smith está – ou esteve – numa variedade de ramos: atuação, produção de filmes e séries, escrita, música e até tráfico de drogas. E que conste que, apesar da amizade com Tupac Shakur, e do casamento com a personagem principal da série Fresh Prince of Bel-Air, o género a que se dedicou não foi propriamente o hip hop ou algo semelhante. Pinkett Smith co-criou, em 2002, a banda de Heavy Metal Wicked Wisdom.

Mas antes disso, nos anos 90, Jada Pinkett Smith, que começava então a sua carreira como atriz, na série A Different World, de Bill Cosby, fez amizade com o reconhecido rapper Tupac Shakur. Ambos estudaram na Baltimore School for the Arts, e a relação intensificou-se, ao ponto em que a atriz e cantora descreveu-a como sendo «como um irmão». Tal era a proximidade, aliás, que Pinkett Smith participou nos videoclipes das músicas Keep Ya Head Up e Temptations.
Foi também nessa década, no entanto, que Pinkett Smith conheceu Will Smith, acabando por formar uma relação amorosa com o ator, que se tinha separado previamente de Sheree Fletcher, com quem casou em 1992. Depois do divórcio, em 1995, e após dois anos de relacionamento com Jada Pinkett Smith, ambos casaram em 1997. Este é, no entanto, um casamento que tem passado pelos seus altos e baixos nos últimos anos, ficando ainda incerto ao público se é, ou não, um ‘casamento aberto’. É que, em 2013, Pinkett Smith fez uma declaração numa entrevista, onde dizia: «Eu sempre disse a Will: ‘Podes fazer o que quiseres, desde que possas olhar-te no espelho e estar bem’. Porque no fim do dia, Will é o seu próprio homem. Eu estou aqui como sua parceira, mas ele é seu próprio homem». Muitos interpretaram esta mensagem como um sinal de que Jada e Will estariam num casamento aberto, sem exclusividade, mas a atriz veio mais tarde negar essa hipótese. «Casamento aberto? A afirmação que fiz em relação a ‘Will pode fazer o que quiser’ iluminou a necessidade de discutir a relação entre confiança e amor e como eles coexistem», lia-se numa publicação da atriz no Facebook.

Anos mais tarde, no entanto, o tema voltou à ribalta. Em junho de 2020, o rapper August Alsina, na altura com 28 anos de idade, anunciou ter tido um caso amoroso com Pinkett Smith em 2016, quando a diferença de idades entre ambos era de praticamente 20 anos. O suposto caso foi ainda mais ‘apimentado’ quando o rapper acrescentou que a infidelidade teria acontecido com a ‘permissão’ de Will Smith. A atriz negou as acusações inicialmente mas, em julho desse ano, Will Smith foi o convidado do programa Red Table Talk, cujo anfitrião era precisamente Jada Pinkett Smith. Nesse episódio, a atriz confessou ao marido ter existido um «emaranhamento» com Alsina enquanto estiveram separados, esclarecendo, no entanto, que não tinha sido com a permissão do ator. O caso gerou polémica, mas Will e Jada acabaram por voltar a estar juntos mais tarde.
Alopecia e os risos

Durante a semana, Pinkett Smith ficou novamente sob os holofotes do mundo após a reação de desagrado a uma piada do comediante Chris Rock sobre a doença de que sofre – alopecia areata. Uma reação, no entanto, que não condiz com a posição que a atriz tomou relativamente à doença, por exemplo, em 2018. Na altura, fez uma publicação nas redes sociais onde surgia de cabeça ‘rapada’, explicando ao mundo que sofria de alopecia, e declarando: «Agora não há nada mais a fazer que não seja rir».

Os comentários estão desactivados.