Desporto

Ucranianos voltam às competições

Pela primeira vez desde o início da guerra na Ucrânia, uma equipa deste país voltou a competir. Foi o Dinamo de Kiev, frente ao Sporting, em jogo a contar para a Youth League.

Ucranianos voltam às competições

O jogo dos oitavos de final da Youth League entre o Sporting e o Dínamo de Kiev, que terminou com a vitória dos leões por 2-1, teve uma importância muito maior do que aquilo que aconteceu dentro de campo, uma vez que marcou a primeira vez que uma equipa ucraniana, desde o início da invasão russa, disputou um jogo de futebol.

A partida estava marcada para o dia 2 de março, em Kiev, mas devido à invasão das forças armadas russas o jogo foi cancelado. Ainda chegou a ser ponderado agendar o encontro para o dia 9 de março, contudo os tanques russos não deixaram espaço para o desporto.

O jogo acabou por se realizar, muito por ação e insistência do treinador romeno da equipa principal do Dínamo de Kiev, Mircea Lucescu, que, uma vez que homens maiores de 18 anos estão proibidos de sair da Ucrânia e que as condições para treinarem não são as melhores, aplicou-se a fundo para que a equipa de sub-19 do seu clube pudesse enfrentar a do Sporting nos oitavos de final da Youth League.

Com este objetivo em mente, os ucranianos deslocaram-se para a Roménia, onde realizaram alguns jogos de preparação. «Sei que muitos dirão que é moralmente errado que parte das pessoas estejam a lutar numa guerra, enquanto outras jogam futebol. Mas cada pessoa pode lutar de uma forma pessoal, fazer o seu melhor para ajudar. A atuação em campo pode encorajar e inspirar muitos», disse Lucescu ao The Guardian, em finais de março. 

Quanto ao jogo, realizado esta quinta-feira em Bucareste, o Sporting não perdoou e venceu o encontro por 2-1 e vai agora encontrar o Benfica nos quartos de final da prova.

O extremo leonino Diogo Cabral foi o marcador de serviço do Sporting (aos 2 e aos 28 minutos), e Yatsyk marcou de penálti para o Dínamo de Kiev, logo no arranque da segunda parte da partida.

Refira-se que os ucranianos entraram com a bandeira do seu país às costas e o Sporting ofereceu camisolas a dizer «paz pela Ucrânia», enquanto realizaram um minuto de silêncio antes de a bola rolar no relvado.

«Para o Dínamo era muito mais do que um jogo e isso viu-se dentro do campo: pela forma como se uniam, como gritaram, como lutaram. E a resposta deles na segunda parte mostra o que é o povo ucraniano, um povo que luta pelo que quer até ao limite», disse o treinador leonino, Filipe Pedro, no final do encontro. «Sentimos o que estão a viver, o facto de entrarem com a bandeira da Ucrânia, o facto de chorarem no final do jogo, uns pelo jogo, outros sabe-se lá porquê...», rematou.

O jogo entre o Sporting, que se apurou pela primeira vez para os quartos de final da competição, e o Benfica realiza-se a 13 de abril, em Alcochete, e o vencedor enfrentará a Juventus nas meias-finais.

Os comentários estão desactivados.