Economia

Remax cresceu 19% nos primeiros três meses do ano

Imobiliária registou um total de volume de preços na ordem dos 1,74 mil milhões de euros, relativos às 19.669 transações.

Remax cresceu 19% nos primeiros três meses do ano

A Remax registou, nos primeiros três meses do ano, um volume de preços de cerca de 1,74 mil milhões de euros, relativos a 19.669 transações, 76,7% das quais de compra e venda de imóveis, “o que representa o melhor primeiro trimestre de sempre”, diz a imobiliária.

Assim, a empresa finaliza este período com um incremento no número total de transações (19,1%) e em volume de preços (31%), quando comparado com igual período de 2021, crescendo em todos os indicadores de atividade.

Continuam a ser os portugueses quem mais está a adquirir ou a arrendar casa, com os investidores nacionais a serem responsáveis por 79,8% das transações da Remax neste período. Entre os investidores estrangeiros, os brasileiros reforçaram a segunda posição daqueles que mais negoceiam em imobiliário – entre janeiro e março, as transações dos brasileiros a representaram 6,5%, a que se seguiram norte-americanos (1,5%) e franceses (1,2%). Destaque para a nacionalidade norte-americana, que face ao trimestre homólogo de 2021, cresceu 143,3% no número de transações, subindo quatro posições.

“O primeiro trimestre do ano foi pautado pelo crescimento e forte dinamismo da nossa rede, com aumentos em todos os indicadores de atividade. Pela primeira vez ultrapassamos a barreira histórica dos 10 mil consultores, assim como atingimos em três meses perto de 20 mil transações imobiliárias, resultado da cada vez mais reconhecida excelência dos nossos colaboradores, que diariamente procuram soluções para clientes nacionais e internacionais nos processos de compra, venda ou arrendamento de imóveis”, diz Beatriz Rubio, CEO da Remax Portugal.

Os dados mostram ainda que as regiões do Centro de Lisboa e do Grande Porto continuam a representar cerca de 30% das transações da rede, não obstante os seus crescimentos não terem sido tão acentuados quanto a média nacional (19%).

Por seu lado, a Margem Sul revelou um nível de atividade praticamente similar ao verificado nos três primeiros de 2021, em contraste com as regiões do Algarve, Linha de Cascais e Linha de Sintra, que verificaram crescimentos superiores a 30%.

Numa análise por distrito e apenas considerando aqueles que registaram mais de 200 transações, o destaque vai para os distritos de Viseu (41,6%), Faro (41%) e Braga (26,4%), aqueles que mais cresceram face a igual período do ano passado. Lisboa com um incremento de 10,7%, o Porto 9,9% e Setúbal com 3%, registaram também bons níveis de crescimentos, atendendo ao enorme peso que representam na rede.

Os comentários estão desactivados.