Economia

Subida dos impostos indiretos atingiu em maio 98% do previsto

Conclusão é dos técnicos da UTAO.

Subida dos impostos indiretos atingiu em maio 98% do previsto

O crescimento nominal dos impostos indiretos atingiu em maio aproximadamente o previsto no Orçamento do Estado para 2022 (OE 2022) para o conjunto do ano, anunciou a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO).

Os técnicos dos Parlamento dizem que o crescimento nominal homólogo dos impostos indiretos no final do mês de maio (2156 milhões de euros) atingiu 98% do aumento previsto para o conjunto do ano (2190 milhões de euros).

“Não obstante o contexto de incerteza geopolítica atual, refletindo-se no aumento muito pronunciado da inflação, esta evolução indicia uma previsão demasiado conservadora do MF [Ministério das Finanças] para a receita fiscal indireta e para o IVA no cenário orçamental subjacente ao OE 2022, apresentado em abril último”, lê-se na análise.

A UTAO diz que o crescimento nominal homólogo dos impostos indiretos até ao final de maio explica-se principalmente com a evolução do IVA (1741 milhões de euros), com um peso de 81% na variação deste agregado, estimam.

E diz que “a amplitude significativa do desvio dos impostos indiretos” face ao previsto no OE 2022 pode resultar da aceleração do consumo privado no primeiro trimestre do ano, superior ao antecipado.

Os comentários estão desactivados.