Economia

Insolvências até julho baixam mais de 10% face a 2021

Insolvências diminuíram 10,3% nos primeiros sete meses de 2022, enquanto as constituições aumentaram 16,6%.

Insolvências até julho baixam mais de 10% face a 2021

As insolvências em julho diminuíram de 326 para 272, menos 54 que no período homólogo de 2021 (-17%). O acumulado apresenta-se inferior aos dados apurados pela Iberinform nos últimos três anos, com menos 293 insolvências que em 2021, o que traduz um decréscimo de -10%. A média mensal é a mais baixa desde 2019 e situa-se em 231 ações de insolvência.

Segundo a Iberinform, por tipologia, até final de julho, foram registadas 452 declarações de insolvência requeridas por terceiros, menos 76 que em 2021, o que traduz um decréscimo de -14%. Já as apresentações à insolvência pelas próprias empresas caíram 19%, com menos 106 pedidos registados. Os encerramentos com plano de insolvência ascenderam a 26 ações, mas também aqui houve um decréscimo de -10% face ao ano transato.

Lisboa e Porto continuam a ser os distritos que apresentam os valores de insolvência mais elevados: 689 e 592, respetivamente. Face a 2021, verifica-se um aumento de 4,9% em Lisboa e uma diminuição de 16% no Porto.

Já as constituições caíram de 3501 em 2021 para 3186 em 2022, menos 315. Em termos acumulados, verifica-se um acréscimo face tanto a 2020 como 2021, alcançando-se um total de 28.672 constituições (+17% que no ano transato).

Os dados mostram que o distrito de Lisboa acolhe o maior número de constituições, com 9799 novas empresas criadas (+31% que em 2021), seguido pelo distrito do Porto com 4.794 empresas (+7,2%).

Os comentários estão desactivados.