Internacional

"Os exercícios estão a começar": China dispara mísseis em operação militar junto a Taiwan

Ministério de Defesa de Taiwan afirmou que se está a "preparar para a guerra sem procurar a guerra".


Os anunciados exercícios militares da China, em resposta à visita a Taiwan de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, começaram esta quinta-feira com o disparo de "múltiplos mísseis balísticos", nas águas que circundam Taiwan.

"O Ministério da Defesa nacional declara que o Partido Comunista Chinês disparou vários mísseis balísticos ‘Dongfeng’ nas águas circundantes do nordeste e sudoeste de Taiwan às 13h56 [6h56 em Lisboa]", disse o Governo de Taiwan, em comunicado.

Os mísseis chineses caíram em zonas próximas das ilhas de Matsu, Wuqiu, Dongyin, no Estreito de Taiwan, mas localizadas mais perto do continente do que da ilha principal de Taiwan.

"Os exercícios estão a começar", anunciou a televisão estatal chinesa CCTV, numa mensagem publicada na rede social Weibo, por volta das 12h00 locais (5h00, em Lisboa). "Esta é a nossa mensagem firme para os dirigentes mal-intencionados e as forças separatistas que querem a independência de Taiwan", frisou Gu Zhong, um responsável da região militar Leste do Exército de Libertação Popular (ELP), à mesma estação de televisão.

Os exercícios militares irão continuar até domingo e abrangem seis zonas marítimas e aéreas em redor da ilha, e incluem "disparos reais de longo alcance" e "testes de mísseis convencionais", disse ainda a estação.

O Ministério de Defesa de Taiwan, após a China ter lançado os seus primeiros misseis, afirmou estar a preparar-se "para a guerra sem procurar a guerra". E frisou: "Não queremos uma escalada [de tensões], mas não hesitamos quando se trata da nossa segurança e soberania".

Os comentários estão desactivados.