Sociedade

Chuva. Porto, Braga e Viana do Castelo com aviso amarelo

Último relatório do IPMA indicava que mais de um quarto do território estava em seca extrema.

Chuva. Porto, Braga e Viana do Castelo com aviso amarelo

Os distritos do Porto, Braga e Viana do Castelo estão desde esta madrugada aviso amarelo devido à chuva, que poderá ser temporariamente forte, revelou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Já para os restantes distritos de Portugal continental estão sob aviso verde, ou seja, não está previsto qualquer situação de risco. No entanto, o instituto revelou que está prevista para hoje chuva para todo o país, à exceção do Alentejo e Algarve.

O último relatório do IPMA indicava que mais de um quarto do território do continente estava no final de junho em seca extrema (28,4%), verificando-se um aumento em particular na região Sul e em alguns locais do interior Norte e Centro, estando o restante território em seca severa (67,9%) e seca moderada (3,7%).

Um cenário que levou o Governo a admitir que quer o uso indevido de água seja penalizado “Vivemos momentos particularmente difíceis”, chegou a afirmar a ministra da Agricultura, afirmando que Portugal está a passar um dos períodos de seca “mais graves do último século”, restringindo o momento atual como “o segundo episódio mais grave desde 1931”. Por outro lado, segundo a governante, “tivemos o segundo verão mais quente” do século - apenas batido pelo de 2016 - com temperaturas máximas e mínimas “acima do normal”.

E face a esse cenário, o ministro do ambiente e Ação Climática pediu que o consumo de água seja feito com rigor e “respeito pelos outros” mas rejeita, para já, “medidas com mais força”. Duarte Cordeiro explicou ainda que tem existido uma atitude colaborativa com os municípios. “É mais do que suficiente, nesta fase, as recomendações e a implementação ao lado dos municípios. Haverá sempre a possibilidade, do ponto de vista jurídico, de adotar medidas com mais força, mas consideramos que ainda não há necessidade dessa implementação”, referiu.

Os comentários estão desactivados.