Desporto

Campeonato do Mundo. A deslizar para o título via San Juan

Portugal viajou até à Argentina com o objetivo de vingar derrotas antigas e conquistar o 17.º campeonato do mundo de hóquei em patins. Entrou com o patim direito e goleou a França.

Campeonato do Mundo. A deslizar para o título via San Juan

por João Sena

Portugal entra nesta competição com as faixas de campeão do mundo, título conquistado, em 2019, em Barcelona. Mas sabe que vai pisar terreno ‘escorregadio’ no mítico pavilhão Aldo Cantoni. Nas cinco vezes anteriores que jogou em San Juan, considerada a Meca do hóquei em patins, Portugal perdeu sempre. Algum dia a história muda. Dos dez jogadores que compõem a seleção nacional, sete são repetentes, o que é uma vantagem a nível de experiência numa competição tão curta e intensa como é o campeonato do mundo. Portugal integra o grupo A com a Itália, França e Chile, enquanto o grupo B é formado por Argentina, Espanha, Moçambique e Angola. O início foi, como se esperava, promissor. Vitória folgada perante a seleção francesa por 5-1. Depois da estreia, segue-se a Itália e o Chile ainda na fase de grupos. A dificuldade aumenta com a passagem (esperada) aos quartos de final, já a presença nas meias-finais e final obriga Portugal a jogar muito e bem. O selecionador nacional, Renato Garrido, sublinhou “as dificuldades que vamos encontrar, mas estamos preparados. É uma semana em que se houver inspiração da nossa parte como houve no mundial anterior, e se formos felizes podemos ter uma palavra a dizer. Tudo faremos para levar o nome do hóquei em patins e de Portugal o mais longe possível”. O técnico lembrou que o primeiro objetivo é vencer o grupo, e só depois pensar nos outros adversários. Renato Garrido considera que “a Argentina é a grande candidata. Joga num pavilhão onde há uma loucura total pelo hóquei e pela sua seleção. Depois há outras seleções muito fortes como nós, Espanha, Itália e a própria França”. O capitão da seleção, João Rodrigues, considera que “vai ser um mundial muito competitivo, isso é saudável para a modalidade. Não considero que Portugal seja o principal candidato. A Argentina, por jogar em casa e com a seleção que tem, é a grande candidata a vencer. Juntaria ainda a Espanha, a França e a Itália”. João Rodrigues destacou que “a nossa principal arma é o espírito de equipa. É uma seleção que nos últimos anos tem tido poucas mexidas, conhecemo-nos muito bem, confiamos no parceiro que temos ao lado e isso pode ajudar nos momentos difíceis. Mais do que dificuldades, vamos viver uma experiência inolvidável”.

 

Mundial feminino

A cidade de San Juan é, durante esta semana, o centro do mundo do hóquei em patins. Além da competição masculina, decorre também o campeonato do mundo feminino. Portugal iniciou a sua participação da melhor forma, com uma vitória expressiva por 8-0 sobre a França. O adversário seguinte foi a Espanha, que ganhou por 3-2. Foi um jogo ingrato para a seleção nacional que vencia por 2-0 ao intervalo. Contudo, os últimos 14 minutos deitaram tudo a perder. Com este triunfo, a seleção espanhola ascendeu ao primeiro lugar do grupo com seis pontos, surgindo Portugal e Chile no segundo lugar, com três pontos.

Os comentários estão desactivados.