Economia

Aquecimento. Preços descem mas portugueses gastam mais

Procura por equipamentos aumentou mas preço médio destes equipamentos desceu 20,26%.


Com as temperaturas mais baixas, os portugueses estão a gastar mais dinheiro com equipamentos de climatização, com as vendas de termoventiladores a aumentar 120% de 16 de outubro a 8 de novembro, face a 1 de outubro a 15 de outubro, revela uma análise do KuantoKusta, comparador de preços e marketplace.

Segundo os dados do estudo, a procura por soluções de aquecimento subiu 40%, onde para além dos termoventiladores, há também outros sistemas em destaque: lareiras (+76,89%), bombas de calor (+67,43%) e os aquecedores convetores (+55,82%) são as categorias que registaram uma maior subida da procura no mesmo período.

Feitas as contas, os consumidores estão, desde outubro, a comprar, em média, equipamentos no valor de 250 euros, o que representa uma subida de 42,87% em relação ao valor registado no mesmo período do ano passado em que o valor médio gasto era de 175 euros.

“Verificamos uma preocupação crescente dos consumidores portugueses com o aquecimento das suas casas, mas também com o tipo de equipamento que utilizam. Um maior investimento inicial numa solução mais eficiente e económica permite uma poupança a longo prazo e este ano vemos que os portugueses estão a gastar mais na compra dos seus equipamentos”, explica Ricardo Pereira, diretor de marketing do KuantoKusta.

O mesmo responsável defende ainda que este poderá ser um bom período para adquirir e atualizar soluções de aquecimento das casas, uma vez que nas últimas três semanas o preço médio destes equipamentos desceu 20,26%.

Mas não só: o comparador de preços deixa o alerta que, para aquecer a casa no inverno, a fatura de energia pode aumentar em 50% e, por isso, é “fundamental que se tenha em conta a eficiência energética dos aquecedores ou ares condicionados escolhidos”.

Os comentários estão desactivados.