Vida

A prenda de natal original de Meghan Markle para William

Apesar de o presente original parecer bizarro para a família real britânica, o facto é que desde há muito tempo que os monarcas trocam prendas mais humildes na época festiva, sempre com um toque de humor.  

A prenda de natal original de Meghan Markle para William

Não foi o presente deste ano, mas fica a nota de que é, provavelmente, um dos presentes mais estranhos que já ouviu falar. Meghan Markle ofereceu, no Natal de 2017, uma colher com as palavras “Cereal Killer” que, traduzido para português, seria algo como “Assassino de Cereais”, fazendo uma brincadeira com a fonética das palavras “cereal” e “serial”.  

A curiosidade encontra-se no livro “Finding Freedom”, escrito por Omid Scobie e Carolyn Durand e publicado em 2020. Recorde-se que em dezembro de 2017, a duquesa tinha acabado de anunciar o seu noivado com o Príncipe Harry. 

Apesar de o presente original parecer bizarro para a família real britânica, o facto é que desde há muito tempo que os monarcas trocam prendas mais humildes na época festiva, sempre com um toque de humor.  

"O maior desafio de Meghan foi encontrar os presentes perfeitos para entreter a sua nova família”, escreveram Scobie e Durand, citados pelo Page Six. "Pelo menos um dos seus presentes foi um enorme sucesso – uma colher para William que tinha 'assassino de cereais' gravado na extremidade rasa da tigela do utensílio". William ficou deveras impressionado com o presente, naquele que foi o seu primeiro Natal juntos.  

A verdade é que este ano, Markle e o Príncipe Harry, irmão de William, estiveram ausentes das celebrações festivas do resto da família, uma vez que permanecem afastados há quase três anos da vida monárquica. 

Ainda recentemente, na nova série documental da Netflix "Harry e Meghan", soube-se que o príncipe William,"perdeu as estribeiras" durante uma reunião de família, que aconteceu depois de este anunciar que ia, com a mulher, Meghan Markle, abandonar o núcleo da realeza britânica. 

"Foi aterrorizante ter o meu irmão a gritar comigo, o meu pai [rei Carlos III] a dizer coisas que simplesmente não eram verdade e a minha avó [rainha Isabel II] sentada, quieta, a assistir e a aceitar tudo", afirmou o duque, lamentado que, "a parte mais triste" foi a divisão que surgiu entre si e o irmão.   

Os comentários estão desactivados.