Internacional

China com quase 60 mil mortes por covid-19 desde levantamento das restrições

Segundo os dados este sábado avançados e citados pelo Global Times, a idade média dos mortos registados nos centros médicos foi de 80,3 anos, sendo que 90,1% tinham mais de 65 anos e mais de 90% sofriam de doenças subjacentes.

 


De acordo com as autoridades chinesas, o país registou quase 60 mil mortes nos hospitais ligadas à pandemia de covid-19 desde que foram levantadas as restrições para combater a doença no país.

Jiao Yahui, responsável da Comissão Nacional Sanitãria da China, disse à imprensa que "um total de 59.938 [mortes] foi registado entre 8 de dezembro de 2022 e 12 de janeiro de 2023", não tendo este registo em conta as mortes que aconteceram fora de estruturas médicas. 

Recorde-se que, no início de dezembro, a China aboliu várias medidas de prevenção contra a covid-19, incluindo o isolamento em instalações designadas de todos os casos positivos, sinalizando o fim da estratégia 'zero casos', que se tornou fonte de descontentamento popular.

Na altura, foi anunciado que quem testasse positivo para infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 podia passar a cumprir isolamento em casa, em vez de ser enviado para instalações designadas e que as escolas que ainda não tivessem registado surtos iriam voltar ao ensino presencial. 

Esta mudança ocorreu depois de inúmeros protestos em cidades por todo o país contra a política de 'zero casos' de covid-19, que gerou casos de alegado abuso de autoridade e impôs, durante quase três anos, uma quarentena a quem chegava do estrangeiro.

Segundo os dados este sábado avançados e citados pelo Global Times, a idade média dos mortos registados nos centros médicos foi de 80,3 anos, sendo que 90,1% tinham mais de 65 anos e mais de 90% sofriam de doenças subjacentes.

 

Os comentários estão desactivados.