Desporto

“Eu e Pinto da Costa sempre quisemos dançar os dois o tango”

Alguns excertos da primeira e exclusiva entrevista de Jorge Jesus a seguir à época do "triplete", que poderá ler na íntegra no SOL de sexta-feira.

A sua amizade com Pinto da Costa já lhe criou problemas no Benfica?

Nunca. Nem nunca vai criar.

Como é que se tornaram amigos?

Desde que comecei a treinar no Norte. Partilhei muitas horas com ele, jantámos várias vezes. É um amigo que eu prezo. Estando eu no Benfica e esteja ele onde estiver, se tiver de atravessar a estrada ou uma barreira para o cumprimentar, vou sempre fazê-lo.

Tendo em conta essa relação, como é que nunca treinou o FC Porto?

Porque há momentos em que as coisas não se juntam, só por isso.

O tango não se dança sozinho, são precisos dois.

Sempre quisemos dançar os dois o tango, só que nunca nos agarrámos.

Mudando de assunto…

Mas ainda em relação ao presidente do FC Porto. No dia em que eu sair do Benfica… Imagine: se eu um dia for treinar o FC Porto ou o Sporting e encontrar o meu presidente Luís Filipe Vieira no jogo, vou cumprimentá-lo. E não haverá nenhum presidente, seja qual for o clube onde estiver, que me proíba de o fazer. No dia em que algum me quiser proibir pergunto-lhe se está a falar com os filhos dele. Porque não deve ser comigo.

rui.antunes@sol.pt e vitor.rainho@sol.pt