Desporto

Jesus: “Tive praticamente tudo certo com outro clube português”

Alguns excertos da primeira e exclusiva entrevista de Jorge Jesus a seguir à época do "triplete", que poderá ler na íntegra no SOL de sexta-feira.

Que razões o levaram a continuar no clube no Verão passado?

Foram dois adeptos que não conhecia. Um é um miúdo que fez um vídeo no YouTube a pedir para eu não sair do Benfica e outro é um adepto com 25 anos de sócio, a idade dele. Encontrou-me, deu-me o emblema de 25 anos de sócio e disse-me assim: 'Jorge, dizem que o Benfica era isto e aquilo, o meu pai conta. Eu nunca vi. Mas vi contigo. Vi o Benfica a jogar, vi o Benfica a ganhar. Eu não quero que tu saias do Benfica, peço-te para não saíres'. Tinha praticamente tudo certo com um clube em Portugal, a ganhar muito mais do que ganho no Benfica, mas aquilo deixou-me a pensar.

Está a referir-se ao FC Porto, obviamente.

Não digo o nome. É fácil perceber, mas não quero faltar ao respeito. O presidente do Benfica convidou-me a continuar e só continuei por ele e por aqueles miúdos. Os meus pais ensinaram-me o que é ser grato. Isto não se aprende na escola. Quando o presidente do Benfica me convidou não lhe podia dizer que não. Se não fosse isso, se calhar não tinha continuado. E também sabia que ia dar a volta. O meu orgulho era tanto que eu disse: 'Ok, vamos para a frente'. Nem discuti condições. Aliás, estou há quatro anos no Benfica com as mesmas condições. Para sair do Sp. Braga para o Benfica paguei 400 mil euros. E fui ganhar 500 mil brutos, portanto, fui para o Benfica de borla. Mas sabia o que estava a fazer. Isto para dizer que, se hoje estou no Benfica, devo-o ao presidente. Contra tudo e contra todos, ele quis que eu continuasse. 

rui.antunes@sol.pt e vitor.rainho@sol.pt