Sociedade

“Sócrates só está preso por ser quem é"

O advogado de José Sócrates, João Araújo, considerou hoje que o ex-primeiro-ministro "só está preso por ser quem é" e que essa "circunstância" interveio na avaliação do juiz Carlos Alexandre.

Em entrevista ao Jornal da Noite da TVI, conduzida por Judite de Sousa, João Araújo reiterou que este é um processo com "uma face profundamente política".

"Nenhum de nós é especialmente ingénuo: é um ex-primeiro-ministro que durante todo o tempo do seu Governo foi alvo de imputações desonrosas. É preso, preso preventivamente e isto não tem nada de político? Só se formos parvos", afirmou.

Para o causídico, que hoje apresentou o recurso no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, contra a prisão preventiva do ex-primeiro-ministro, José Sócrates "só está preso por ser quem é".

Esta condição, adiantou, "influiu necessariamente na decisão que foi tomada".

"O doutor Carlos Alexandre é um juiz extremamente considerado, como todos os juízes, é extremamente respeitado e respeitável. Fez a sua avaliação. Nessa avaliação interveio, certamente, a circunstância de José Sócrates ser quem é, de ter sido primeiro-ministro", disse.

João Araújo afirmou mais uma vez que não existem motivos para José Sócrates estar preso e classificou de "inútil" esta detenção.

O advogado disse desconhecer alguns dos casos que alegadamente estão relacionados com os crimes que são imputados ao seu constituinte (branqueamento de capitais, fraude fiscal e corrupção), como o suposto transporte de dinheiro através de um motorista, os contratos que Carlos Santos Silva (também em prisão preventiva), enquanto administrador do Grupo Lena, obteve durante os Governos do seu amigo ou o faustoso estilo de vida de José Sócrates. 

"Eu gostava de levar o estilo de vida que me diz que ele levava. Eu não sei", respondeu.

Sobre a proposta do Ministério Público para que o ex-motorista de José Sócrates passar de prisão preventiva para domiciliária, entretanto aceite pelo juiz Carlos Alexandre, o advogado disse que preferia que o mesmo fosse colocado em liberdade.

Questionado pela jornalista sobre o alegado transporte pelo motorista João Perna de dinheiro para José Sócrates, João Araújo foi peremptório: "É uma grosseira mentira".

Segundo o advogado, João Perna nunca terá saído de Portugal como motorista do ex-primeiro-ministro. "Foi uma vez a Badajoz fazer a revisão do carro. É aqui ao lado", ironizou.

José Sócrates está preso preventivamente no Estabelecimento Prisional de Évora por suspeita de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada, num caso relacionado com alegada ocultação ilícita de património e transacções financeiras no valor de vários milhões de euros.

Lusa/SOL