Vida

Menino com paralisia cerebral luta para levar cão para a escola

Stevie, um Staffordshire Terrier treinado para acompanhar doentes, alerta as pessoas à sua volta quando Anthony está a ter algum problema saltando para um sensor que se encontra na cadeira ou começando a ladrar. Está treinado também para ajudar a estabilizar a cabeça de Anthony caso este tenha uma crise. Para além disso, Stevie usa um colete encarnado que possui toda a medicação de Anthony e um manual de instruções que explica como esta deve ser administrada.

Monica, a mãe de Anthony, queria que Stevie o acompanhasse na escola, mas os directores dos estabelecimentos de ensino recusavam-se a aceitar a presença de um cão no local. Durante quatro meses, foi a própria Monica, mãe solteira, que teve de acompanhar Anthony durante o período de aulas na Nob Hill Elementary School. No entanto, esta mulher garante que o menino estaria seguro com o seu cão.

“Sinto-me completamente segura quando ele está com Stevie, porque sei que o cão vai procurar ajuda se for necessário (…) Ele adora o Anthony e o Anthony adora-o. O Stevie já chegou a salvar-lhe a vida”, disse Monica ao jornal Miami Herald.

Mas esta história tem um final feliz: O tribunal da Florida decretou esta semana que Stevie está finalmente autorizado a acompanhar Anthony na escola. Os dois amigos não podiam ter ficado mais contentes com o desfecho desta batalha judicial.

Uma história que começou mal, mas acabou bem. Anthony Merchante é um menino norte-americano de sete anos com paralisia cerebral que só se consegue movimentar numa cadeira de rodas. O seu ‘guia’ é um cão chamado Stevie, o seu melhor amigo.