Desporto

Benfica e FC Porto fazem milhões com estrangeiros da formação

Comprar barato e vender caro. Este tem sido o modelo de negócios usado por águias e dragões na contratação de estrangeiros em idade de formação (jogadores que tenham passado pelo clube entre os 15 e os 21 anos). Sem possibilidade de ir ao mercado em busca de atletas feitos, os dois clubes procuram jovens talentos e encaixam verbas milionárias. 

Anderson chegou ao FC Porto ainda com 16 anos. Os dragões pagaram 5 milhões de euros ao Grémio e encaixaram 30 milhões, passadas duas épocas, quando o médio saiu para o Manchester United. James Rodriguez foi outro caso de rápida inflação: chegou aos 18 anos por 7, 5 milhões e saiu três anos depois por 45 milhões de euros. 

O Benfica entrou nesta corrida mais tarde, mas tem alcançando números impressionantes. Di María foi contratado por 8 milhões de euros, passou três épocas de águia ao peito e seguiu para o Real Madrid por 33 milhões de euros. David Luiz trocou os brasileiros do Vitória pelo Benfica, também aos 18 anos, por 1,5 milhões de euros. Ao fim de cinco épocas saiu para o Chelsea por 25 milhões de euros. Os encarnados ganharam ainda mais 1, 3 milhões por direitos de formação nesta pré-temporada quando o central assinou com o PSG pela verba recorde de 50 milhões de euros