Politica

Nóvoa esclarece licenciatura

As suspeitas levantadas por Cândido Ferreira sobre o curso frequentado por Sampaio da Nóvoa na Escola Superior de Teatro e Cinema, nos anos 70, entraram no debate da RTP desta terça-feira. O médico pediu ao ex-reitor da Universidade de Lisboa que explicasse como se refere ao curso frequentado no Conservatório como uma licenciatura, quando naquela altura o curso não conferia o grau de licenciado.

 

Nóvoa entregou a Cândido Ferreira um dossiê com os documentos que atestam as suas habilitações. Antes, já publicara uma nota na página da sua candidatura na internet.

A conclusão do Curso Superior de Teatro, na Escola de Teatro do Conservatório Nacional, data de 1976. Nóvoa concluiu o 3.º e 4.º anos nas vertentes formação de atores e formação de encenadores, respetivamente. Refere ainda o currículo, no capítulo da formação artística - e não no da formação académica - que «por despacho do Ministro da Educação Nacional de 10 de fevereiro de 1972, para todos os efeitos este curso é de ensino superior». Nóvoa sublinha ainda, na mesma nota, que é «errado» e «falso» que tenha feito referência a uma «licenciatura em Teatro», por se tratar de uma «realidade que nem existia no momento em que terminei o meu Curso Superior de Teatro no Conservatório Nacional».

Ciências da Educação ‘é a única licenciatura’

A única licenciatura de Sampaio da Nóvoa é, portanto, em Ciências da Educação e foi obtida em 1982, na Universidade de Genebra. Um júri nomeado pela Universidade de Aveiro, em 1984, validou-o como licenciatura em Ciências da Educação. «Esta é a única licenciatura que possuo», clarifica Sampaio da Nóvoa.

Sobre esse Diplôme d’Études Avancés, o candidato clarifica ainda que se trata de um curso dirigido sobretudo a profissionais da Educação com formação e experiência na área pedagógica. «A entrada para o curso depende de uma avaliação criteriosa do percurso académico e profissional anteriores». Assim, além da realização de provas e entrevistas, foi considerada também a frequência do curso de Matemática na Universidade de Coimbra; a conclusão do referido Curso Superior de Teatro no Conservatório Nacional, mas também a experiência profissional na formação de professores, no Magistério Primário de Aveiro; a atividade pedagógica ao serviço do Ministério da Educação e a publicação de trabalhos académicos. «A Universidade de Genebra entendeu que eu estava em condições de entrar no referido curso. Nada mais natural. Sem quaisquer equivalências. Sem validações absurdas», frisa.

Nóvoa recordou ainda o convite para professor assistente que lhe foi endereçado pela Universidade de Genebra. Em 1986, Nóvoa concluiu o doutoramento em Ciências da Educação por aquela instituição suíça, fazendo depois as provas de agregação para ingressar como professor da Universidade de Lisboa, da qual foi reitor entre 2006 e 2013, juntando-lhe mais tarde um segundo doutoramento, desta feita em História da Educação, na Universidade de Sorbonne, em 2006.

Acerca das suspeitas levantadas por Cândido Ferreira, o professor catedrático refere: «Um ataque infundado desta natureza não merece senão indiferença e deveria apenas envergonhar servir para envergonhar quem o profere».