Vida

Ninguém fica indiferente a este poema escrito por um menino com Asperger

Benjamin Giroux tinha de escrever um poema para a escola. O título era “Eu sou”. A partir daqui, este menino de 10 anos conseguiu descrever o que uma criança com Asperger sente no dia-a-dia.

“Eu sou estranho, eu sou novo

Pergunto-me se tu também serás

Oiço vozes no ar

Percebo que tu não as ouves e isso não é justo

Não me quero sentir triste

Eu sou estranho, eu sou novo

Eu finjo que tu também és

Sinto que sou um rapaz de outro planeta

Toco nas estrelas e sinto-me deslocado

Preocupo-me com o que os outros pensarão de mim

Choro quando as pessoas se riem, faz com que me encolha

Eu sou estranho, eu sou novo

Agora percebo que tu também és

Digo que me sinto como um naufrago

Sonho com o dia em que isso não seja um problema

Tento integrar-me

Espero algum dia conseguir

Eu sou estranho, eu sou novo”.

Este foi o poema que Benjamin apresentou na escola. O texto foi partilhado na página da Associação Norte-americana para o Autismo no Facebook e teve mais de 12 mil ‘gostos’ e mil partilhas.

“Fizeste um trabalho maravilhoso Benjamin! Estás enquadrado connosco por nós #tambémsomosesquisitos”, lê-se na legenda que acompanha a fotografia do poema partilhada pela Associação.

“Estamos orgulhosos, mas ao mesmo tempo tristes por ele se sentir assim”, disse o pai de Benjamin ao Huffington Post. “Cada gosto, comentário ou partilha que o texto recebeu fez com que ele se sentisse integrado, mas também o emocionou perceber que tocou tantas pessoas”, acrescentou.