Sociedade

Scolari investigado em Portugal por fuga ao fisco

Actual seleccionador do Brasil não terá declarado 7,5 milhões de euros pelos direitos de imagem na altura em que estava à frente da selecção portuguesa.

 

Luiz Felipe Scolari está a ser investigado pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) por, alegadamente, ter fugido ao fisco no tempo em que era seleccionador de Portugal, entre 2003 e 2008, num documento revelado pela publicação holandesa "Het Financieele Dagblad".

“Há razões para suspeitar (dos pagamentos), são receitas de Luiz Felipe Scolari pagas como direitos de imagem”, afirma o DCIAP, citado pelo jornal brasileiro Folha de São Paulo, que também fala em lavagem de dinheiro.

Segundo a TSF, o Ministério Público já confirmou que existe um inquérito a correr no DCIAP.

A assessoria de Scolari diz que o actual técnico da selecção do Brasil declarou sempre todos os seus rendimentos. “Em todos os países que trabalhei, sempre declarei os meus rendimentos. Tenho absoluta convicção da correcção das minhas declarações. Se há algo errado, não é comigo. Que a justiça apure todos os factos”, pode ler-se numa declaração do brasileiro ao mesmo jornal.

Segundo a mesma investigação, as autoridades portuguesas afirmam que Scolari recebeu 7,425,438,59 milhões em direitos de imagem e quase todo esse valor foi transferido para uma conta em Miami (EUA), no banco Credit Lionnays.

Outra quantia terá ainda passado pela empresa Flamboyant Sports, com sede na Holanda e escritório nas Bahamas e que detinha os direitos de imagem de Scolari, ao abrigo de um contrato com a Nike.

SOL