Sociedade

Casal McCann chocado com livro de Gonçalo Amaral

Os pais de Madeleine McCann afirmaram hoje em tribunal que o livro do ex-inspector da PJ, Gonçalo Amaral, "é chocante" e foi "uma afronta" para a família, da criança desaparecida no Algarve.

"Antes e durante a leitura do livro, senti angústia, desespero e raiva", declarou Gerry McCann, pai de Madeleine McCann, que desapareceu, na noite de 3 de Maio de 2007.

Já Kate McCann disse que sentiu "desespero por causa das injustiças" publicas no livro do ex-inspector da PJ, tendo sido "muito doloroso", uma vez que o livro insinua a participação dos pais no desaparecimento da criança.

O casal McCann prestou declarações durante o julgamento que decorre no Palácio da Justiça, em Lisboa, do processo em que pedem uma indemnização de 1,2 milhões de euros por difamação ao ex-inspector da PJ.

Os pais de Madeleine McCann consideraram que o livro, lido por centenas de milhares de pessoas, pôs em causa a continuação da investigação sobre o desaparecimento da filha e levou a que a maioria da população portuguesa acreditassse que a criança estava morta e que tivessem encenado um rapto.