Sociedade

Portugueses trocam descanso nas férias por treino duro e alimentação regrada

São cada vez mais os portugueses que marcam férias especificamente para se dedicarem a fundo ao desporto, trocando o descanso por horas de treino de corrida, exercícios de ‘trail’ ou bicicleta e substituindo os petiscos por alimentação regrada.


"Há cada vez mais pessoas a querer férias activas, não querem estar deitadas à beira da piscina sem fazer nada. Porque é nas férias que há uma disponibilidade total para fazerem uma reprogramação, quer alimentar quer de exercício", contou Marcos Baioa, treinador pessoal (PT) e responsável técnico de vários ‘bootcamps’ em unidades hoteleiras no Algarve.

Marco Baioa recorda que foi há cinco anos que notou um aumento visível do número de pessoas que, em férias, passavam bastante tempo a fazer exercício no exterior.

"Eu trabalhava na Quinta do Lago, no Algarve, e notei que o número de pessoas a praticar exercício no exterior, a correr por exemplo, estava a aumentar. E notei que nos meses de férias - Junho, Julho e Agosto - estava preenchidíssimo como PT. Eram pessoas que vinham de férias e marcavam PT para essa altura. Já havia essa tendência", contou.

Marco Baioa viu uma oportunidade de negócio e criou a sua própria empresa, destinada ao segmento de hotéis de luxo no Algarve.

Os ‘bootcamps’, com a duração de uma semana e abertos a um máximo de seis participantes, combinam pelo menos cinco horas diárias de exercício, uma alimentação saudável programada por nutricionistas e confeccionada pelos 'chefes' dos hotéis e o acompanhamento constante do treinador.

"É como uma reprogramação completa, em que a pessoa sai com novos hábitos alimentares e novos hábitos de exercício. Durante sete dias estou sempre com os ‘alunos’, oriento os exercícios, tomo o pequeno-almoço, almoço e janto com eles", explicou Marco Baioa.

Desde o primeiro ‘bootcamp’, em junho de 2012, o treinador já conduziu mais 50 destas semanas de treino, uma por mês, e - ao contrário do que inicialmente pensavam os hotéis parceiros do programa - em todas as alturas do ano.
Longe da praia, em plena Serra da Estrela, o ultramaratonista Armando Teixeira explora desde o ano passado uma variante do mesmo conceito.

Na sua quinta edição, o ‘Ultratrail bootcamp’ já atraiu quase três centenas de pessoas (entre participantes e familiares dos atletas), que trocam um fim de semana de descanso por corridas em montanha, ‘work-shops’ sobre técnicas de ‘trail’, métodos de corrida e treino apropriado à modalidade.

"A adesão tem sido em crescendo. Mais de 50% das pessoas que frequentam já estiveram nos anteriores ‘trailcamps’ e regressam para fazer uma reciclagem. Por uma questão de segurança - uma vez que estamos a falar de atividades ‘outdoor’ e em montanha - limitamos o número de participantes. Também por uma questão de gestão de grupos e para limitar o impacto ambiental", explicou à Lusa Armando Teixeira.

A ideia agora passa por aumentar o número de dias do campo de treino, bem como fazê-lo noutras zonas do país.

"Já fizemos duas experiências, a título de convite, uma nos Açores e outra na Madeira, e tiveram bastante adesão. Mas o plano imediato passa por alargar os ‘trailcamps’ na Serra da Estrela para uma semana", salientou o atleta.

Por outro lado, o antigo ciclista profissional João Cabreira introduziu em Portugal uma experiência que já existia noutros países da Europa: possibilitar a amadores viverem uma semana (das suas férias) como elementos de uma equipa profissional de ciclismo.

"Durante três a cinco dias sentem-se como ciclistas profissionais, em estágio, com mecânicos, massagens e treino acompanhado. Não se preocupam com mais nada. Continua a ser um conceito de férias, mas a praticar desporto", explicou à Lusa João Cabreira, um dos sócios da empresa Biketreino.

O programa da Biketreino é planeado ao milímetro por antigos profissionais da bicicleta (João Cabreira foi campeão nacional de estrada em 2008 e 2011, vencedor da Volta ao Algarve 2006 e de várias etapas da Volta a Portugal), um nutricionista, um psicólogo e um fisiologista.

"Os participantes treinam e os seus familiares, que ficam alojados nos hotéis de que somos parceiros, também se divertem em atividades paralelas", declarou João Cabreira, acrescentando que a Biketreino tem feito "training camps" um pouco por todo o país.

 

SOL/Lusa