Internacional

Nove capacetes azuis mortos no Mali

Nove homens das forças de manutenção da paz das Nações Unidas no Mali foram mortos numa emboscada esta sexta-feira. Um porta-voz da ONU afirmou que este é o ataque mais sangrento que a missão sofreu naquele país.

As vítimas, oriundas do Níger, foram atacadas por indivíduos em motas e fortemente armados, quando viajavam nas viaturas oficiais das Nações Unidas entre as cidades de Menaka e Ansongo, segundo a agência Reuters. 

Desde 2013, morreram 29 capacetes azuis e centenas ficaram feridos no Mali devido a ataques com explosivos ou armas de fogo.

O chefe das operações de manutenção de paz da ONU, Hervé Ladsous, manifestou no último fim-de-semana a sua preocupação com o ressurgimento dos jihadistas no Norte do Mali. “Estamos numa situação em que as forças francesas reduziram, em grande medida, a sua presença no Mali e o exército do país tem sido ineficaz”, lamentou.

Há cerca de um ano, grupos jihadistas com ligações à al-Qaeda no Norte do Mali foram expulsos do país através de uma intervenção militar liderada pela França.

Estes grupos conseguiram reposicionar-se – em grande parte no Sul da Líbia, hoje em guerra civil – e retomaram este ano os ataques no Mali. 

miguel.mancio@sol.pt