Sociedade

Guerra antiga opõe Ronaldo e Correio da Manhã

Na semana em que somou 100 milhões de seguidores no Facebook e marcou um golo à Dinamarca no último minuto de jogo, Cristiano Ronaldo foi também protagonista de um momento mediático quando recusou responder às perguntas de uma jornalista da CMTV, na conferência de imprensa após o jogo contra a selecção francesa, no domingo.

O excerto em que o capitão da Selecção nacional pergunta “CMTV, o que é isso?” e recusa, cordialmente, responder - depois de ser informado de que é a televisão do Correio da Manhã - teve mais de 500 mil visualizações no Youtube. 

Octávio Ribeiro, director do CM desde 2007 e responsável igualmente pela Correio da Manhã Televisão (CMTV), defende que Ronaldo, “como capitão da Selecção, não cumpriu aquela que é a sua obrigação mínima de responder a todos os órgãos de comunicação social”.

Na origem da recusa do jogador  está um diferendo antigo com o  diário do grupo Cofina. Recentemente, o jornal disse que CR7 foi decisivo para a saída do seleccionador Paulo Bento, sendo duramente criticado pelo jogador na conferência de imprensa de domingo: “Não tenho nenhum respeito por esse jornal, porque é constantemente a inventar notícias e polémicas, a inventar um mau relacionamento e um mau ambiente na Selecção…”. 

Em Julho, o CM foi condenado por crime de devassa da vida privada, na forma agravada,  devido a uma notícia sobre a mãe do filho de Ronaldo, publicada em Agosto de 2011, com o título “Ama revela segredos do clã Aveiro”. Segundo Octávio Ribeiro, esse “ processo não foi perdido, apenas conheceu uma decisão que nos foi desfavorável na primeira instância” e justifica a publicação da notícia que teve na origem do diferendo em tribunal: “Convém que os leitores percebam que o que está em causa é a forma como Cristiano Ronaldo foi pai. Forma que o Correio da Manhã questionou e investigou por haver indícios de que poderá violar os direitos de qualquer criança, face à lei portuguesa”.

Em 2012, CR7 anunciou na sua página no Facebook a intenção de processar mais uma vez o CM na sequência da publicação de imagens das suas férias com a namorada na sua casa no Gerês, mas Octávio Ribeiro diz não ter conhecimento da existência deste processo em tribunal.

O que é a CMTV 

Com uma média diária de 12 mil espectadores, segundo dados da CAEM/Mediamonitor, a CMTV é o 16. º canal no ranking dos canais por cabo (onde estão excluídos os quatro generalistas de origem nacional), tendo menos espectadores que a SIC Radical e mais do que a SIC Mulher. Mas tem uma desvantagem à partida. Tendo nascido a 17 de Março de 2013, de uma parceira com a PT, a CMTV é difundida em exclusivo pela Meo, o que faz com que à partida tenha pouco mais de 40% do mercado. 

Mesmo assim, José Carlos Castro, director da CMTV, refere que as audiências superaram as expectativas: “Os objectivos contratualizados com a Meo para serem atingidos ao fim de dois anos foram atingidos ao fim dos primeiros seis meses de emissão”. E chegar a todo o espectro da pay TV, nas operadoras Nos, Vodafone e Cabovisão é, para Octávio Ribeiro, “um objectivo para 2015”, terminado o contrato de exclusividade com a Meo. “No final do primeiro semestre em que estejamos já com as mesmas ‘armas’ de distribuição, deveremos ter uma audiência próxima dos 2%”, diz Octávio Ribeiro. ”Tínhamos estabelecido o 3º ano como o ano da luta pela liderança com a SIC-Notícias. Os actuais dados permitem-nos aspirar a antecipar esse momento para o final do primeiro semestre em que o nosso sinal seja distribuído por todos os operadores de pay-tv”, acrescenta.

Canal generalista com enfoque na informação é como José Carlos Castro define a CMTV, recusando que a televisão da Cofina se paute por critérios sensacionalistas: “Temos uma informação agressiva que está em todo o país, mas não procuramos o sensacionalismo”. Mas é uma “televisão de cachas jornalísticas”, tal como define Octávio Ribeiro.

José Carlos Castro refere que a estação tem cumprido o lema de 'Melhor Primeiro', tendo uma cobertura de todos os distritos do país. “De 25 meios de directo, só seis estão em Lisboa”, refere, sendo uma marca da estação “o estar perto de todo o país”.

O canal da Cofina vive de sinergias de grupo, com programas como Flash Vidas, feito pelas equipas da revista Vidas (do CM) e da Flash, e a transmissão de um filme para adultos nas noites de sexta-feira, promovido nas páginas do CM.  E  desde que Ronaldo ganhou o título de Melhor Jogador do Mundo, a televisão dedica-lhe uma rubrica diária intitulada O Diário do Melhor do Mundo.

telma.miguel@sol.pt