Vida

Steven Tyler: ‘Sou melhor a drogar-me do que a fazer música’

O vocalista dos Aerosmith Steven Tyler admitiu recentemente que a sua luta contra o vício das drogas e do álcool ainda não acabou, lê-se no site da Classic Rock. Tyler disse mesmo que era “melhor” a drogar-se “do que a fazer música”.

Estas declarações foram feitas durante uma cerimónia num centro de reabilitação em Maui, no Havai.

“Só vos estou a dizer a verdade. Sou um viciado em drogas e álcool que luta todos os dias”, afirmou o cantor.

“Tomei de tudo. Não queria saber de nada. Magoei a minha família, os meus filhos e os meus amigos. Se não fossem os AA [Alcoólicos Anónimos], não teria nada hoje em dia. Se deixarem de ir às reuniões dos AA vão acabar por voltar ao vício”, acrescentou.

Steven Tyler disse que começou a consumir drogas em 1964 e, 20 anos depois, quando entrou pela primeira vez para um programa de reabilitação, pesava 57 quilos e “disparava cocaína” para as veias. “Aquilo não era um centro de reabilitação, mas sim um instituo psiquiátrico. As pessoas que se sentavam ao meu lado estavam loucas”, recorda o artista.

“Sou melhor a drogar-me do que a fazer música. Preciso de estar sempre atento”, acrescentou.

Steven Tyler, de 66 anos, está ‘limpo’ há cinco anos. Lidera os Aerosmith desde o ano em que a banda se formou (1970) e é o autor de vários êxitos, como ‘Dream On’, ‘Walk This Way’ e ‘Janie’s Got a Gun’.