Vida

400 portugueses já se ofereceram para o Shark Tank

A SIC já recebeu candidaturas «muito boas» e vai aumentar as vagas do Lago dos Tubarões.

Foram já mais de 400 os candidatos  a apresentar as suas propostas de negócio para o Lago dos Tubarões, programa que a SIC irá lançar  no início de 2015, em horário nobre. Fonte da estação admite ainda estar a ser ponderado um aumento do número máximo de candidaturas a analisar «porque a qualidade tem sido muito boa e merece ser estimulada».

As candidaturas abriram  no passado dia 8  (devem ser registadas  em www.sharktank.pt), tendo os candidatos que apresentar um vídeo com a ideia de negócio para a qual vão pedir apoio financeiro e aconselhamento aos ‘tubarões’, ou seja, o júri. A qualidade do ‘pitch’ ou ‘elevator pitch’ – ou seja, a apresentação de uma ideia de forma muito convincente, estruturada e marcante, num máximo de cinco minutos (aproveitando a ideia de um encontro de elevador com um eventual magnata) –  é determinante para o candidato ser admitido ou excluído.

O ‘pitch’ é também um dos momentos-chave do programa que nos Estados Unidos vai na sexta temporada, na ABC, sendo campeão de audiências nas noites de sexta-feira. Cá, a versão norte-americana  tem sido transmitida pela SIC Radical.

Mário Ferreira no júri

Estão ainda em segredo, porém, os nomes dos portugueses que irão aceitar o desafio de entrar em parcerias de negócio com os concorrentes que passarem nos testes.

Mário Ferreira tem sido apontado como um desses ‘tubarões’. Ao SOL, o dono e presidente executivo da empresa de cruzeiros Douro Azul admite que essa é «uma forte probabilidade», apesar de os detalhes da participação no programa ainda não estarem totalmente fechados. Mas sublinha que a sua intenção será estimular o empreendedorismo, sobretudo dos jovens: «Com 50 ou 60 mil euros , é possível ajudar um jovem que tenha uma boa ideia».

Mário Ferreira considera que  esta «é uma altura em Portugal interessantíssima para que estes programas possam contribuir de forma bastante positiva para incentivar o pequeno investimento e criar pequenos empreendedores». Apesar de o país ter muitos pequenos empreendedores, «eles não estão suficientemente motivados»,  – diz o dono da Douro Azul .