Sociedade

Coimbra celebra o Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada

O Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada será assinalado hoje, no Parque Verde do Mondego, estando também previstas homenagens em Évora, Vila Real e Viseu.

‘A velocidade mata’ é o mote internacional deste ano e evoca o terceiro pilar do Plano Global de Segurança Rodoviária 2011-2020 – segundo o qual é preciso construir veículos com melhores tecnologias de segurança activa e passiva e com níveis mais elevados de protecção não só dos ocupantes mas também dos utentes mais vulneráveis da estrada (peões, ciclistas).  

Oficialmente reconhecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), este dia é celebrado há dez anos em todos os continentes, em particular nos países em rápido desenvolvimento, que hoje apresentam a maior parte de mortes e lesões por desastres rodoviários no mundo.

Os Estados comprometem-se a fazer uma evocação pública da memória daqueles que perderam a vida ou a saúde nas estradas e nas ruas nacionais e mundiais como sinal de reconhecimento da dimensão trágica da sinistralidade.

Este ano, a cerimónia será organizada pela InOutCister, pelo Instituto Politécnico de Coimbra e pela Escola Superior de Educação de Coimbra, em colaboração com a Câmara Municipal de Coimbra, com a Estrada Viva e diversas entidades locais, e terá o apoio institucional da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, da Direcção-Geral de Saúde, da GNR e da PSP.

Os acidentes de viação são uma das três principais causas de morte a nível mundial, responsáveis pela morte de 1,2 milhões de pessoas todos os anos, sobretudo entre os cinco e 44 anos. Mais de 3.400 homens, mulheres e crianças são mortos todos os dias nas estradas do mundo enquanto andam a pé, de bicicleta ou ao viajar de mota. Outros 20 a 50 milhões de pessoas sofrem ferimentos, a cada ano, em consequência de desastres rodoviários.

Em Portugal, só este ano (até ao dia 7 de Novembro), as autoridades já registaram 397 mortes e 1.736 feridos graves.

sonia.graca@sol.pt