Tecnologia

Facebook nega ataque massivo de hackers

Facebook, Instagram e Tinder derrubados por hackers? O corte desta manhã de terça-feira de várias das mais populares redes sociais começou por ser atribuído ao colectivo LizardSquad, mas surge agora um desmentido oficial e uma primeira explicação por parte da empresa de Mark Zuckerberg.

“Isto não resultou de um ataque da parte de terceiros”, lê-se num comunicado do Facebook que justifica a falha com a introdução de alterações ao site que terá afectado os “sistemas de configuração” da rede social.

Durante cerca de uma hora, das 6h até às 7h (hora de Lisboa, pleno serão e ‘prime time’ online na costa ocidental dos EUA), milhões de utilizadores europeus, norte-americanos e asiáticos acorreram ao Twitter – a rede social ‘sobrevivente’ – para relatar as suas dificuldades em aceder ao Facebook, Instagram, Tindr, MySpace, AIM e Hipchat.

Nessa altura, surgia a seguinte mensagem numa conta do Twitter (@LizardMafia) conotada com o colectivo hacker: "Facebook, Instagram, Tinder, AIM, Hipchat #offline #LizardSquad."

De acordo com as explicações do Facebook, tudo se terá devido então a uma falha técnica na sua rede, que dada a sua integração com os restantes serviços causou um efeito dominó.

Analistas citados pela AFP consideram que a ‘reivindicação’ do LizardSquad não passará de um erro de interpretação da imprensa – ou de uma mensagem redigida de forma intencionalmente ambígua, de modo a produzir um golpe publicitário.

O LizardSquad tem reivindicado várias acções nos últimos meses. Entre as mais mediáticas contam-se ataques à PlayStation Network, a Xbox Live e a toda a rede norte-coreana.