Economia

Grécia: Presidente do Eurogrupo diz que progressos são 'insuficientes'

Os progressos alcançados nas negociações com a Grécia sobre as reformas que o país deve fazer em troca de financiamento são "insuficientes", declarou hoje o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem.

"Foram registados progressos, mas são insuficientes", disse Dijsselbloem em declarações a um canal de televisão holandês.

Atenas e as instituições credoras (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI) têm dificuldade em chegar a um acordo sobre o financiamento do país, após meses de negociações.

Os credores exigem reformas para que seja desbloqueada a tranche de 7,2 mil milhões de euros do empréstimo concedido em 2012. O Governo grego liderado pelo Syriza (esquerda radical) diz que quer aliviar a austeridade imposta ao país nos últimos anos e tem recusado reformas que impliquem novos cortes.

"Ainda não fomos muito longe (nas negociações), a conclusão é essa e o tempo urge", afirmou o presidente do Eurogrupo.

Uma porta-voz da Comissão Europeia tinha afirmado anteriormente que é cedo para se falar num acordo da Grécia com os credores.

Em Atenas, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, disse aos jornalistas que o Governo tinha apresentado na noite passada um plano de reformas "completo" e "realista", sem dar detalhes da lista apresentada aos credores.

Lusa/SOL