Politica

Joana já manda no PTP

Ex-bloquista foi eleita secretária-geral do PTP, o partido a que uniu o seu Agir para concorrer às eleições. Coligação será alargada ao PDA. Para já as despesas de campanha são por conta própria.

Joana Amaral Dias é a nova secretária-geral do PTP, partido a que uniu o seu movimento Agir para concorrer às legislativas de Outubro. O congresso electivo dos trabalhistas decorreu no final de Maio e longe dos holofotes e das objectivas dos jornalistas, segundo fonte do partido. A tomada de posse da ex-bloquista no novo cargo ainda não está agendada até porque o PTP está mais concentrado em acções de sensibilização para atrair novos partidos para aliança. Pelo menos mais quatro, adianta a mesma fonte.

Na sexta-feora, o PTP vai assinar um acordo de coligação com o Partido Democrático do Atlântico (PDA). «Será o PDA a escolher o cabeça-de-lista da coligação nos Açores», explica fonte do PTP. A assinatura do acordo deverá ser feita na escadaria da Assembleia da República ou no Largo do Carmo.

O objectivo do PTP/Agir/PDA é juntar pelo menos cinco ou seis partidos. Na pior das hipóteses faltam outras três siglas. Certo é que Joana Amaral Dias será cabeça-de-lista em Lisboa. José Manuel Coelho vai liderar a lista da Madeira. A coligação quer apresentar-se a votos em todos distritos do país (18 mais Açores e Madeira) mas faltam candidatos.

Agir: nome da coligação

O PTP não deverá alterar o seu nome no Tribunal Constitucional, contrariamente ao Livre, partido fundado por Rui Tavares, que irá aparecer no boletim de voto como Livre/Tempo de Avançar, depois da aliança firmada com o Forum Manifesto, Renovação Comunista e MIC-Porto. No caso do PTP, apurou o SOL, a coligação será denominada Agir (nome do movimento fundado por Joana Amaral Dias) e no boletim de voto irão aparecer apenas os símbolos do PTP, do PDA e dos outros partidos que se juntem à coligação.

A ausência da sigla do boletim decorre do facto do Agir não ser uma partido e ninguém garante que se venha a constituir como partido a tempo das eleições para as quais podem concorrer... apenas partidos políticos. Nada que demova, porém, Amaral Dias que tem andado pelo país em campanha, suportando pessoalmente as despesas, mesmo depois de eleita para os órgãos do PTP.

ricardo.rego@sol.pt