Desporto

Um menino que já devia ser homem

A expulsão de Neymar após a derrota do Brasil frente à Colômbia (1-0), na segunda jornada da fase de grupos da Copa América, gerou uma onda de críticas ao avançado da canarinha. Um dos primeiros a 'sair da toca', e talvez o mais acutilante, foi Faustino Asprilla, antiga estrela do futebol colombiano. “Neymar é uma mentira para o futebol”, escreveu nas redes sociais.


Ronaldo, antigo avançado da selecção brasileira, também não gostou de ver Neymar envolvido em picardias com os adversários e o árbitro do jogo. Criticou-lhe os exageros - “Está a jogar de forma muito agressiva” - e deixou um 'recado' ao comentar o caso numa estação televisiva: “Quando estás com a camisola do Brasil não podes agir dessa forma”.

Seu companheiro de equipa no Barcelona e também no escrete, Daniel Alves tentou colocar água na fervura, sem deixar de condenar o sucedido. “Neymar deve estar tranquilo, aprender com tudo isto e não cair em erros que prejudicam a equipa”, sublinhou o lateral direito.

Dunga, o seleccionador do Brasil, mostrou-se compreensivo com Neymar, mas chamou-o à atenção para o que considera essencial: “Não queremos meninos, queremos homens”.

Castigado com quatro jogos de suspensão, o avançado não joga mais nesta Copa América. A situação complicou-se quando, no final do duelo com os colombianos, Neymar rematou com violência contra a cabeça de Armero. Murillo foi pedir-lhe explicações e recebeu uma cabeçada, ao que se seguiu uma troca de empurrões com Bacca. A fechar, já no acesso aos balneários, Neymar terá ainda insultado o árbitro.

hugo.alegre@sol.pt