Sociedade

PSP apreende 128 peças de marfim

A Equipa de Proteção Ambiental do Núcleo de Segurança Privada (EPANSP) da PSP detectou 12 infracções à legislação referente ao comércio de espécies protegidas em Lisboa durante uma acção de fiscalização realizada na quinta-feira – infracções estas passíveis de coima que pode atingir os 20 mil euros –, divulgou hoje a Polícia em comunicado.

No total, foram apreendidas 128 peas de marfim, entretanto entregues ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

O Comando Metropolitano de Lisboa “continuará a desenvolver atividades no âmbito da protecção ambiental, procurando-se, sobretudo, apelar à consciencialização ambiental dos cidadãos”, sublinham as autoridades.

O comércio de animais de espécies protegidas é o principal alvo destas acções de fiscalização da EPANSP: “Utilizadas muitas vezes para fins decorativos, as peças, são comumente compostas por marfim, de cetáceos e rinoceronte”.