Sociedade

Macedo arguido no caso dos ‘vistos gold’

O ex-ministro da Administração Interna vai ser constituído arguido no âmbito da Operação Labirinto pelos crimes de prevaricação e tráfico de influências. A imunidade parlamentar de Miguel Macedo já terá mesmo sido levantada. Neste inquérito – que levou à demissão do ex-ministro - investigam-se ilegalidades na atribuição dos chamados ‘vistos gold’. Macedo foi apanhado em diversas escutas, de que foram alvo os restantes arguidos, durante a investigação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

De acordo com informações avançadas hoje pelo “Correio da Manhã” o deputado cessante do PSD deverá ser acusado até novembro, uma vez que a investigação estará já a chegar ao fim.

O caso envolve também a ex-secretário-geral do Ministério da Justiça Maria Antónia Anes, o ex-diretor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) Jarmela Palos, Jaime Gomes, sócio-gerente da empresa JMF Projects and Business, os funcionários do IRN Paulo Eliseu, Paulo Vieira, José Manuel Gonçalves e Abílio Silva, entre outros.

A Operação Labirinto, que envolveu diversas buscas e 11 detenções, a 18 de Novembro de 2014, está relacionada com a aquisição de ‘vistos gold'. Sob investigação estão os crimes de corrupção ativa e passiva, recebimento indevido de vantagem, prevaricação, peculato de uso, abuso de poder e tráfico de influência.

carlos.santos@sol.pt