Sociedade

João Araújo: Rosário Teixeira ‘levou uma trepa da Relação’

A defesa de José Sócrates diz que não é possível falar em “vitória” num processo que consideram ser uma “derrota para o país e para o Estado de direito”. À saída da habitação onde José Sócrates esteve até hoje em prisão domiciliária, na Rua Abade Faria, em Lisboa, o advogado João Araújo afirmou que o procurador Rosário Teixeira  “levou uma trepa” da Relação de Lisboa e acusou a Procuradora-Geral da República de emitir comunicados com uma versão falsa dos factos.

“Quero esclarecer que a PGR e o senhor procurador insistem que foram eles que libertaram o engenheiro José Sócrates. Mas não, a libertação foi imposta pela Relação”, esclareceu o advogado adiantando que se trata de uma forma de “se tentar lavar a face”.

Pedro Delille - que também defende o ex-governante – lembrou que o Tribunal Central de Instrução Criminal tem ainda de “declarar nulos todos os atos desde 15 de Abril”, data em que segundo os desembargadores Rui Rangel e Francisco Caramelo deveria ter terminado o segredo de justiça.

carlos.santos@sol.pt