Sociedade

Sabe quanto teria custado a Ponte 25 de Abril na moeda atual?

15 factos e curiosidades sobre a grande obra do Estado Novo que provavelmente desconhecia

O primeiro projeto de uma ponte sobre o Tejo, pelo eng.º Miguel Pais, remonta a 1876. Ligaria o Montijo ao Beato.

O espanhol Carles Buigas chegou a propor que a travessia se fizesse através de um teleférico, tendo também idealizado o projeto de um túnel debaixo do leito rio.

A estrutura da ponte ficou concluída a 5 de janeiro de 1966, com a colocação da última secção da viga de rigidez.

No dia anterior à inauguração (6 de agosto de 1966), realizou-se um cocktail na residência do embaixador dos EUA em Portugal.

O nome foi alterado para Ponte 25 de Abril a 5 de Outubro de 1974. Salazar, que se opusera firmemente ao nome original (Ponte Salazar) tinha profetizado: “O meu nome ainda há de ser retirado da ponte”.

As obras de instalação da ferrovia decorreram entre janeiro de 96 e abril de 99. O alargamento de quatro para seis faixas de rodagem foi feito no mesmo período. Entretanto, realizou-se a 15 de novembro de 98 uma viagem experimental de comboio entre as duas margens.

Altura desde o nível do rio até ao tabuleiro: 70 metros, para permitir a passagem dos maiores navios.

Altura das torres: 190 metros acima do nível da água.

Profundidade a que está o pilar sul: 82 metros abaixo do nível da água (compostos por 32 metros de areias, 25 de lodos e 25 de água).

As 80 mil toneladas de materiais trazidas dos EUA pela marinha mercante portuguesa representaram “a maior encomenda que qualquer nação do mundo havia feito àquele país”.

O projeto definitivo ocupava 100 volumes, com 10 mil páginas e mais de 4 mil desenhos.

O maciço da amarração norte contém 160 mil toneladas de betão.

Em média, passam diariamente na ponte 25 de Abril cerca de 130 mil veículos. O máximo na ponte Vasco da Gama foi na casa dos 60 mil.

A ampliação do tabuleiro das 4 vias originais para as 6 vias atuais só aconteceu com as obras de instalação do caminho-de-ferro (que decorreram de 26 de janeiro de 1996 a 4 de abril de 1999.

A ponte e os acessos rodoviários custaram 2.145.000 contos, o que, aplicando o coeficiente de desvalorização da moeda de 2015 para a data da celebração do contrato de financiamento (1961), corresponderia atualmente a cerca de 800 milhões de euros.

Fonte: A Ponte Inevitável – História da Ponte 25 de Abril, de Luis F. Rodrigues (ed. Guerra & Paz)