Sociedade

Segurança Social, CP e IGCP nos Panama Papers

As entidades portuguesas CP, IGCP (agência de tesouraria e gestão da dívida pública) e a Segurança Social usaram offshores, revela a TSF.

Segundo o mesmo órgão de comunicação, o dossier Panama Papers revelou a existência de aplicações de entidades públicas no valor de quase 150 milhões de euros na ilha de Jersey e na Jordânia.

De acordo com a TSF, essas entidades são a Segurança Social – embora num valor dez vezes menor do que o noticiado inicialmente – e o IGCP. Este último aplicou, no primeiro trimestre de 2015, cerca de 130 milhões de euros em obrigações da CP, sendo que estas foram emitidas através da CP Finances através de um veículo financeiro sediado em Jersey.

Esta operação, feita no âmbito de uma aplicação de excedente de liquidez em dívida pública e de empresas públicas reclassificadas, atingiu a maturidade em julho do ano passado, revela a TSF.

O mesmo órgão de comunicação avança ainda que o Governo prepara-se para impedir este tipo de aplicações e de emissões de dívida de empresas públicas através de offshores.