Desporto

Polícia francesa impede realização de treino aberto a comunidade portuguesa

A polícia francesa impediu a Seleção Nacional de realizar o treino à porta aberta para a comunidade portuguesa emigrante, programado para quinta-feira no estádio Robert-Bobin, com capacidade para 19 mil pessoas, avança hoje o Diário de Noticias.

AP  

As autoridades francesas terão desaconselhado a equipa portuguesa a dar seguimento ao evento que estava a ser preparado, uma vez que a UEFA, entidade promotora do Euro2016, determina que todas as seleções realizem um treino aberto antes do arranque da competição, agendada para dia 10 de Junho.

No entanto, e concretizando as medidas excecionais de segurança preparadas para este evento, o treino à porta aberta agendado para o dia 9 de junho (quinta-feira) na localidade de Bondoufle, a cerca de 30 quilómetros de Paris e a 15 do centro de estágio português, teve de ser cancelado.  

Em declarações ao DN, fonte policial da delegação que acompanha a selecção em França admitiu que as medidas de segurança exigidas pelas autoridades francesas são extremamente limitativas e com tendência para aumentar com o decorrer da competição.

“Os franceses estão preocupados e estão a tomar medidas muito restritivas. Muito diferentes do padrão noutros eventos desportivos internacionais. E a nossa seleção também fica limitada. As aparições públicas, as entradas e saídas do hotel e os treinos serão muito controlados. Se Portugal progredir na competição a tendência é para mais restrições”, explicou.

A FPF, apesar de perceber as medidas de segurança impostas e de serem parte interessada nestas questões, está “mais concentrada na parte desportiva”.

Apesar das diversas restrições, o treino a porta aberta vai acontecer na mesma, no entanto será realizado no centro de treinos Domaine de Bellejame, em Marcoussis, que tem uma capacidade limitada para mil adeptos.