Economia

Fisco desmantela grupo que fazia bebidas falsificadas e fugia aos impostos

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) anunciou esta quarta-feira o desmantelamento de uma unidade de produção clandestina de bebidas alcoólicas numa quinta dos arredores de Lisboa. Três arguidos foram indiciados pela prática de crimes de associação criminosa e introdução fraudulenta no consumo.

Na operação, realizada no dia 15 de julho, foram apreendidos 2 066 litros de aguardente de cana-de-açúcar e de 8 400 litros de calda de cana-de-açúcar. A fábrica alvo da ação “encontrava-se dissimulada, no interior de uma quinta, nos arredores de Lisboa, onde a produção de bebidas alcoólicas, em condições de higiene inadequadas, se destinava à distribuição por vários estabelecimentos comerciais ligados à restauração e a particulares na região da Grande Lisboa”.

Nesta operação, para além de 12 investigadores da AT, estiveram envolvidos 10 elementos da PSP. Foram feitas, em coordenação, seis buscas – quatro delas domiciliárias. “A ação conduziu à identificação e constituição de 3 arguidos, que faziam desta atividade seu modo de vida”, refere o comunicado das Finanças.

Com esta apreensão, a AT “evitou a disponibilização aos consumidores de um produto de salubridade duvidosa”, bem como “a evasão ao pagamento ao Estado de um valor estimadamente superior a 50 mil euros em impostos, no caso Imposto sobre o Álcool e Bebidas Alcoólicas e IVA”. A operação insere-se na estratégia de luta contra a fraude aduaneira e fiscal.