Desporto

Na derrota é preciso encontrar culpados

José Mourinho admite que se “soubesse o que alguns jogadores iriam fazer em campo, não os teria colocado a jogar”.

Desiludido. É a palavra de ordem para classificar o estado de espírito do treinador português depois do desaire frente ao Manchester City em Old Trafford. A qualidade individual dos jogadores era exigida, mas não entrou em campo. No final é preciso encontrar respostas para o resultado. Jogadores, árbitro e o treinador. Os três culpados da falha, à quarta jornada do campeonato, que colocou Guardiola e companhia na liderança. Dois golos dos citizens aos 35 minutos num jogo em que o público só se levantou da cadeira na primeira parte do dérbi. Ibrahimovic reduziu para os red devils aos 42 minutos, mas não foi suficiente para mudar o rumo da equipa.

No final, o Special One apontou em todas as direções. A Mark Clattenburg, responsável pela arbitragem, pelas decisões. Aos jogadores, por “estar à espera de mais”. E a si próprio porque não deixa de ser “o treinador”.

Na perspetiva do técnico português, o lance entre Claudio Bravo e Wayne Rooney era “penálti e cartão vermelho” para o guardião do City. Caso fosse fora da área, José Mourinho não tem dúvidas que apenas se mudava a marcação da falta, porque a cartolina vermelha continuava garantida para Bravo.

Se a insatisfação perante as sentenças do árbitro eram grandes, também os jogadores foram destaque nas declarações menos positivas de José Mourinho. No fim, sem dizer nomes, deixou um recado. “Sinceramente, se o jogo fosse agora e soubesse o que alguns jogadores iriam fazer, não os teria colocado em campo”, resumiu. Mas como na vida, também assim é no futebol, e “às vezes os jogadores desiludem os treinadores e outras vezes dão grandes surpresas”, concluiu.

Apesar do descontentamento com alguns dos escolhidos (e muitas estrelas havia em campo), Mourinho não descartou as responsabilidades da derrota, da qual afirmou ser o mais culpado. “Eu sou o técnico e a culpa é minha porque foram as minhas escolhas”, disse, mostrando--se sobretudo triste pela derrota em frente dos adeptos.

Guardiola, no entanto, já avançou a sua análise sobre a derrota. Para o comandante do Manchester City, os três pontos perdidos podem ser um contratempo para o Manchester United, mas não são razão suficiente para entrar em pânico. Para o técnico espanhol, José Mourinho vai transformar a derrota em motivação perante os seus jogadores. Será?

Amigos ou não, José e Pep já se conhecem há 20 anos...