Internacional

Civis que fogem do Daesh torturados e mortos pelo exército iraquiano e milícias

Situação denunciada pela Aministia Internacional

A organização Amnistia Internacional revelou esta terça-feira um relatório onde expõe “os abusos brutais e graves violações de direitos humanos, incluindo crimes de guerra, a que têm sido submetidos, pelas forças de segurança iraquianas e milícias paramilitares aliadas, milhares de civis que fogem” das zonas controladas pelo Estado Islâmico.

O relatório – “Punished for Daesh’s crimes: : Displaced Iraqis abused by militias and government forces” – revela que a maioria dos crimes cometidos pelo exército iraquiano e as milícias aliadas é cometida contra a população sunita.

O documento compila mais de 470 testemunhos de pessoas torturadas após terem escapado das zonas tomadas pelo grupo terroristas. Vários desses testemunhos falam ainda em execuções sumárias.

A Amnistia Internacional pede ao governo iraquiano que investigue estes casos e que previna um agravamento destas situações com o processo de reconquista de Mossul, onde poderão ocorrer “potenciais ataques de vingança em Mossul”.