Histórias do clássico

Junho de 1922. Quando o FC Porto ganhou o campeonato que era taça

A primeira edição do chamado Campeonato de Portugal só teve duas equipas - e três jogos, um de desempate

Em 1922 disputou-se o primeiro Campeonato de Portugal. A verdade é que não era um campeonato, apesar do nome e da insistência atual dos dirigentes do Sporting em quererem contabilizá-lo como tal. Era uma prova a eliminar - por isso a FPF decidiu, em 1939, a alteração do nome para Taça de Portugal - entre os diversos campeões regionais. Só que, nesse ano de estreia, só se defrontaram o campeão de Lisboa (Sporting) e o campeão do Porto (FC Porto). Como se constata, de campeonato não tinha nada. Deixemos a questiúncula. Havia duas mãos a disputar. Na primeira, os portistas jogaram em casa, no Campo da Constituição, e venceram por 2-1 (Tavares Bastos, 2; Emílio Ramos); na segunda, ganharam os sportinguistas, no Campo Grande, por 2-0 (Henrique Portela e Torres Pereira). Ainda não havia, e não haveria por muitos e bons anos, a regra dos golos fora. Decidir-se-ia a posse do troféu através de uma finalíssima.

No Campo do Bessa, no Porto, no dia 18 de junho, as duas equipas voltaram a encontrar-se. A disputa foi renhida. Os comandados de Francisco Stromp defenderam-se como podiam mas, aos 51 minutos, Balbino Silva deu vantagem ao FC Porto. Durou 19 minutos exatos. Emílio Ramos faz o 2-1 que se estende até final da hora e meia. Recorre-se ao prolongamento. A peleja está no auge. João Nunes faz o 2-1 ao minuto 100 e, dois minutos mais tarde, é a vez de o capitão João Brito fechar o resultado. O FC Porto conquista o primeiro Campeonato de Portugal, tal como o faria com o primeiro Campeonato da Liga, em 1935. Esse sim, o verdadeiro campeonato, embora sem Portugal no nome...