Desporto

Apostas. Rio Ave insurge-se contra suspeitas de manipulação de resultado

Vila-condenses criticam a comunicação social, mas também o Departamento de Jogos da Santa Casa


O Rio Ave reagiu nesta terça-feira à polémica levantada pela suspensão das apostas relativas ao jogo da véspera com o Feirense, em Santa Maria da Feira.

Manifestando total apoio aos seus jogadores, o clube vila-condense atira-se à comunicação social, considerando inadequada a forma como o caso foi tratado pelos órgãos de comunicação, e considera também que o esclarecimento do Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia "foi útil mas tardio".

 

Pode ler o comunicado na íntegra:

"Face aos recentes acontecimentos que levaram o Departamento de Jogos (da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (DJSCML) a suspender a aceitação de apostas no evento da Liga NOS, CD Feirense – Rio Ave FC, vem o Rio Ave Futebol Clube comunicar o seguinte:

Nas horas que antecederam o jogo com o CD Feirense, o Rio Ave FC foi surpreendido pelas notícias que veiculavam a tomada de posição do DJSCML em suspender as apostas referentes a esta partida.
A Direcção, a equipa e respectivo staff encontravam-se em estágio para o jogo quando tomaram conhecimento, através da imprensa e redes sociais do sucedido, levantando suspeitas de manipulação de resultados.
O Rio Ave FC sempre teve uma politica de abertura e bom relacionamento com a imprensa. Consideramos que o papel da imprensa, pela sua responsabilidade civil e profissional na sociedade deverá ser veículo dos mais nobres princípios deontológicos e éticos ao informar o publico. Papel fundamental também no fomento e desenvolvimento do futebol em Portugal que consideramos existir.
Em comunicado emitido durante o jogo, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, transmitia o seguinte:
“O Departamento de Jogos (DJSCML) decidiu suspender a aceitação de apostas no evento da Liga NOS, Feirense – Rio Ave, de hoje, às 21:00, atendendo ao volume atípico de apostas registado e ao risco financeiro envolvido, cumprindo o disposto no art. 19º, alínea 8, da Portaria que regulamenta o jogo Placard.”

A referida alínea 8 do artigo 19º da portaria que regulamenta o jogo Placard diz: “A aceitação de apostas relativas a um dos prognósticos de um determinado tipo de apostas pode ser suspensa a qualquer momento pelo Departamento de Jogos quando os prémios a pagar se tornem superiores aos montantes totais apostados para a totalidade dos prognósticos referentes àquele tipo de aposta.”

A imprensa, ao noticiar o caso da forma como o fez, apresentando-o como acto passível de manipulação ou viciação de resultados, ao contrário de explicar simplesmente os factos, sem alimentar qualquer suspeição, inverteu os seus valores e contribuiu para um alarmismo geral, pondo em causa a honra, honestidade e integridade dos profissionais e Instituições envolvidos.

Antes que o DJSCML apresentasse qualquer justificação ou esclarecimento, alguma imprensa foi célere em apontar o caso como suspeita de manipulação, recordamos, a poucas horas de um jogo, onde as duas equipas envolvidas precisavam e tudo iriam fazer para vencer, bem como a equipa de arbitragem, certamente, iria dar o seu melhor em nome do profissionalismo.
O Rio Ave FC considera que o esclarecimento do Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa foi útil, mas tardio, já que na nossa perspectiva o mesmo deveria ter sido simultâneo à suspensão das apostas em causa, não permitindo alarmismos e esclarecendo a opinião publica e a imprensa.
O Rio Ave FC orgulha-se de ter nos seus quadros atletas e profissionais íntegros e competentes, acima de qualquer suspeita, que diariamente são, como é do reconhecimento público, excelentes agentes promotores do desporto e do futebol em Portugal, bem como exemplos de cidadania.
O Rio Ave FC demarca-se deste e qualquer assunto que desvirtue ou ponha em causa a verdade desportiva.
O Rio Ave Futebol Clube."