Petróleo

Redução da oferta bem aceite

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) considera que o mercado mundial aceitou bem a redução da oferta de crude. 

"Penso que o mercado reagiu bem”, disse o presidente em exercício da OPEP e é visível “o declínio da oferta" por parte dos principais produtores, acrescentou Mohamed Saleh al-Sada.

Os principais produtores mundiais de crude, incluindo países que não pertencem ao cartel liderado pelo também ministro da Energia do Qatar, acordaram no final do ano passado um corte na produção de 1,8 mil milhões de barris de petróleo por dia (bpd) no primeiro semestre deste ano.

No acordo assinado em Viena, em dezembro de 2016, os 13 países da OPEP comprometeram-se a reduzir a produção em 1,2 millhões de bpd a que se acrescentou depois um corte da produção de 600 mil bpd de 11 países que não pertencem ao cartel, como por exemplo a Rússia ou o México.

Com este acordo os preços do petróleo voltaram a subir para mais de 50 dólares por barril. Em 2015 o crude negociou abaixo dos 28 dólares.