Politica

Vital critica Cavaco por “golpear inimigo quando ele está na mó de baixo”

“Suscita a primeira polémica de baixo nível entre um ex-PR e um ex-primeiro-ministro”, diz constitucionalista

O constitucionalista Vital Moreira critica o livro de Cavaco Silva “Quinta-Feira e Outros Dias”. Vital Moreira considera que com “este testemunho incontinente”, Cavaco Silva “suscita a primeira polémica de baixo nível e alta tensão entre um ex-Presidente da República e um ex-primeiro-ministro na nossa história constitucional democrática”. 
O constitucionalista lembra que “nem Eanes em relação a Soares, nem Soares em relação ao próprio Cavaco Silva entraram por aí. Não é precedente de que se deva orgulhar”.

Num texto publicado no blogue Causa Nossa, onde escreve habitualmente, Vital Moreira faz duros ataques às memórias do ex-Presidente da República. “Revela que o tempo não moderou a sua aversão pessoal e política a José Sócrates, que há seis anos deixou destilar publicamente nos rancorosos discursos da sua vitória eleitoral de 2011 e de tomada de posse na Assembleia da República, sem paralelo em nenhum discurso presidencial antecedente”, escreve o ex-eurodeputado do PS, acrescentando que “a malquerença pessoal e o ressentimento político não são bons conselheiros de memórias políticas”. 

Vital defende ainda que “golpear um inimigo quando ele está politicamente na mó de baixo, como é o caso de Sócrates, é feio”.

O livro de Cavaco Silva já foi criticado por vários socialistas. O presidente do PS, Carlos César, considerou que “o livro oscila entre o arrogo biográfico e a delação intriguista”. José Junqueiro considera tratar-se de “um ajuste de contas”.