Sociedade

Super Dragões negam vandalismo

Taberna do pai do árbitro Jorge Ferreira foi vandalizada com uma inscrição afeta à claque do FC Porto.

Os Super Dragões, principal claque do FC Porto, demarcaram-se dos atos de vandalismo praticados na madrugada da última quinta-feira na taberna do pai do árbitro Jorge Ferreira, que apitou o encontro entre o Benfica e o Estoril, referente à primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal. «Nada temos a ver com as pichagens no restaurante do pai do árbitro Jorge Ferreira e somos vítimas de mais uma manobra de diversão para tentar virar as arbitragens contra o FC Porto. Não está no nosso ADN ir a coberto da noite fazer pinturas a casa dos árbitros ou dos seus familiares, bem como persegui-los ou ameaçá-los», salienta a claque em comunicado, fazendo questão, porém, de deixar críticas ao juiz: «É um mau árbitro, com um passado muito favorável ao Benfica, clube de que é ferrenho adepto, e isso ainda esta semana ficou uma vez mais evidente».

Numa das paredes do estabelecimento podia ler-se a inscrição «Aqui venera-se Calabote», com a sigla dos Super Dragões (SD) e o ano de fundação da claque: 86.

Jorge Ferreira tinha estado a comemorar o aniversário do pai na taberna e foi já depois de ter saído que foi notificado sobre o que havia acontecido. O árbitro garantiu que nada o irá demover de continuar a sua profissão, mas admitiu temer pela família. Este foi, recorde-se, o segundo incidente envolvendo os Super Dragões e Jorge Ferreira. Em fevereiro do ano passado, alguns elementos da claque portista foram ao estabelecimento após um encontro entre o Paços de Ferreira e o Benfica, dirigido pelo árbitro e vencido pelas águias também com polémica. Então, a GNR acabou por ser chamada ao local após alegadas ameaças dos Super Dragões ao pai do árbitro.