Polónia

Nus e acorrentados no portão de Auschwitz

Mais de uma dezena de pessoas despiram-se e acorrentaram-se umas às outras em frente ao portão do antigo campo de concentração nazi de Auschwitz, na Polónia. Antes tinham degolado um carneiro.

O grupo integrava 14 homens e mulheres entre os 20 e os 27 anos que se acorrentaram em frente ao portão com a inscrição "Arbeit macht frei" (O trabalho liberta), filmando o ato com um drone.

A polícia local revelou que foram todos detidos para interrogação pela polícia, aguardando intervenção do Ministério Público sobre o caso.

“Um incidente deste tipo é totalmente inédito em Auschwitz, nem consigo comentar", disse à agência AFP o diretor do Museu. Piotr Cywinski acrescentou nada saber sobre as motivações do grupo.

DE 1940 e o início de 1945, a Alemanha nazi exterminou no complexo Auschwitz-Birkenau cerca de 1,1 milhões de pessoas, dos quais um milhão de judeus de vários países europeus. O campo, no qual também morreram 80 mil polacos não judeus, 25 mil ciganos e 20 mil soldados soviéticos - foi libertado em janeiro de 1945 pelo exército russo.